inicio - hoomu peeji     Dados - Deeta     Cultura - Bunka     Dicas - hinto     Contato - Renraku

en sp jp gr it fr gr nt sers ch ar
expressoes - kotoba
Hiragana
Katakana
Dicionário -  Ziten
Gramatica - Bunpou
Kanjis
Fontes - Zitai
Clipes - Bideo Kuripu
Musicas - Ongaku
TV Nihongo
Wallpapers - Kabegami
Downloads
Japao HiTec - Tecnologia Japonesa - Nihon Haiteku
Orkut

Kanjis - História


     Dos primeiros pictogramas foram utilizados 214 como radicais para a formação de outros caracteres pela junção de dois ou mais pictogramas, que se constituiram nos ideogramas. De modo geral, dá-se o nome de ideograma ou kanji, em japonês, ao pictograma ou ao ideograma. Ossos encontrados em Honan (China) mencionam governantes da dinastia de Shang (1766 a. C. – 1123 a. C.), o que nos dá a certeza de que a escrita chinesa tem pelo menos essa idade. Séculos mais tarde, durante a dinastia Han (206 a. C. – 211 d.C.), iniciada por Kao-Tsu, ocorreu a padronização dos ideogramas, fato que deu ao conjunto de caracteres o nome da dinastia. A escrita chinesa passou a ser chamada de "a escrita de Han"(“hanzi”), niponizado como “kanji”, e “hanjya” em coreano.

     Dos primitivos pictogramas cuja preocupação era a semelhança com o objeto representado, os ideogramas passaram por quatorze estilos diferentes até chegar à sua forma atual. Os caracteres atuais geralmente são versões simplificadas dos originais. Com o tempo os caracteres evoluiram, e foram sendo escritos com menos traços. Os kanjis, com o tempo, saíram da fase pictograma, se modificando a ponto de se tornar irreconhecível em relação ao objeto original.

A elaboração dos ideogramas foi feita baseada em quatro princípios:

Representação pictórica:


Representação direta de objetos visíveis. Os ideogramas “sol” 日, “lua” 月, “árvore” 木, “montanha” 山, “rio” 川, “porta” 門, “pessoa” 人, guardam ainda hoje visível semelhança com o objeto real. Alguns têm variações para uso como radical, por ex, os ideogramas “pessoa” 人, “água” 水, “mão” 手, “cachorro” 犬;

Diagramação:


Uso de símbolos sem nenhuma iconicidade que o ligue à idéia representada. Por ex, ideograma que representa “em cima” 上, “em baixo” 下, os numerais “um” 一, “dois” 二, “três” 三;

Sugestão:


Junção de dois ideogramas sugerindo uma terceira idéia, de fundamental relação entre ambos, porém, de significado diferente. Não é a soma de idéias, mas uma combinação, pois gera um conceito, algo que graficamente não pode ser representado.

Exemplos:

 “homem”  + “árvore” = descansar
 “orelha”  + “porta” = ouvir
 “sol”  acima do horizonte = aurora
 “o que liga três planos"  "céu, terra e homem” = o que governa, governar
 dois ideogramas “árvore”   = bosque
 três ideogramas “árvore”   = floresta
 sol levantando-se  entre os galhos = o leste
 “mulher”  + “filho” = verbo gostar ou bom
 “plantação de arroz”  + “força” = homem, macho
 “mulher”  sob um “teto” = segurança

topo
Próxima>>>

Atualizacoes parceiros

parceiros

Creative Commons License Site Meter Nihongo Brasil by Rafael de Souza Queiroz is licensed under a Creative Commons Atribuição
- Uso Não-Comercial - Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License
.